Skip to content

O que aprendi com o Catarse da Trasgo

Entre fevereiro e março passei pelos 45 dias mais intensos desse ano em termos de produção de conteúdo e postagens diárias em mídias sociais. Nesse período esteve no ar a campanha da primeira edição impressa da Revista Trasgo. Nossa meta para entregar os livros impressos e as demais recompensas era de R$ 9900,00. No final das contas, arrecadamos 135%, garantindo com folga o sucesso do projeto.

Nesse período eu aprendi muitas coisas sobre como fazer uma campanha no Catarse. Minha intenção com esse post não é ensinar ninguém a fazer uma campanha, mas sim relatar minha experiência e pontuar algumas coisas que descobri nessa jornada, tanto dicas práticas quanto percepções pessoais.

  1. É preciso se aplicar: essa talvez seja a mais óbvia. Você precisa se aplicar. Você precisa reservar um bom tempo todo santo dia para fazer as postagens em suas redes sociais, entrar em contato com pessoas e sites para obter divulgação da campanha e também responder aos comentários e perguntas que chegarem até você. Seu tempo de campanha passa voando e é preciso extrair o máximo possível de cada dia, mas antes disso…
  2. (…) Tem que fazer uma Pré-Campanha: para aproveitar ao máximo o seu tempo de campanha, o maior número de pessoas possível precisa saber que algo grande está por vir. Eu acho que quanto mais tempo de pré-campanha, melhor, mas pode ser que dependa do seu público/conteúdo e tudo mais. Na Trasgo tivemos dois meses de pré-campanha, que sem dúvidas foram essenciais no resultado final. Desses dois meses, no entanto, acredito que aproveitamos mais apenas os último 30 dias, porque eu não tinha um planejamento fixo de quando fazer os posts e era muito inseguro a respeito de…
  3. (…) Como montar as peças de divulgação da campanha: Eu basicamente não confiava em nenhum texto que escrevia e achava que toda combinação de texto e imagem estava ruim. Como não sei muito sobre marketing e nunca divulguei algo de forma tão intensa nas redes sociais, eu não sabia muito bem como fazer isso e não confiava no material que gerava. Como resultado, demorei a postar com a frequência que precisávamos, e só consegui fazer isso bem, de fato, quando peguei confiança no que estava fazendo, e também quando recebi as dicas e o apoio da nossa…
  4. (…) Consultoria de Campanha: O crowdfunding, apesar de estar no Brasil há anos, ainda é uma coisa muito recente, na qual tanto produtores de conteúdo quanto apoiadores estão em processo de amadurecimento. O produtor muitas vezes sabe fazer bem seu produto, mas não teria condições de, sozinho, cuidar de uma campanha da forma apropriada. Foi com isso em mente que logo no começo do nosso projeto entramos em contato com a Ira Morato, da Imagine Conteúdos, e contratamos seus serviços. A Ira é profissional de marketing digital com cases de sucesso no Catarse como o livro do Andrei Fernandes, Kalciferum. Foi ela que me falou da pré-campanha, que me incentivou a fazer as peças e a confiar mais no meu trabalho, que me fez seguir cronogramas e a encarar a campanha com muita aplicação e seriedade. Se você não sabe muito bem no que está se metendo, contrate uma profissional de marketing digital para te ajudar no processo. Esse apoio foi essencial para a campanha da Trasgo, e com o decorrer do tempo também percebemos que…
  5. (…) As pessoas gostam de ajudar: O teu público cativo, teus amigos e as pessoas ao redor do projeto gostam de ajudar, de apoiar e de compartilhar. No decorrer do processo apareceram pessoas e sites que nos apoiaram muito, e de forma totalmente espontânea. É preciso valorizar esses aliados e trazê-los para perto, agradecer e fazer eles parte do projeto. Uma coisa que aprendi é que o apoio sincero e entusiasmado de um site pequeno faz mais pessoas apoiarem sua campanha do que uma nota num site gigantesco. Pedir apoio também faz parte, mas aqui é importante tratar a pessoa, site, ou grupo de Facebook de forma atenciosa e personalizada. Não sair copiando e colando o mesmo texto padrão por aí já é um bom começo. É assim que se faz amigos e aliados num projeto como esse. Eventualmente alguém vai declinar um pedido teu, e o importante é saber que está tudo bem, não tornar isso algo pessoal e tocar o barco. Eu sei que pode ser difícil separar o lado pessoal quando se trata de um projeto que lhe é tão caro, mas o profissionalismo na condução de uma campanha é essencial.

Essas foram algumas das coisas que aprendi nessa jornada e com certeza vão fazer toda diferença caso vá fazer alguma outra campanha no futuro. Entretanto, o trabalho ainda não acabou. O livro da Trasgo está em produção, assim como os demais brindes (camisetas, canecas), e estamos em contato frequente com os apoiadores, deixando-os a par dos passos que estamos tomando na campanha, que levarão à entrega das recompensas. Manter o contato na pós-campanha é essencial para que seu público sinta que investiu em um projeto que vale a pena, e, convenhamos, não é legal deixar as pessoas no escuro durante meses, não é mesmo?

Por fim, deixo como referência o episódio duplo do podcast Os 12 Trabalhos do Escritor sobre Financiamento Coletivo. Na primeira parte o autor Andrei Fernandes fala sobre seu livro, a produção das recompensas e tudo mais, e na segunda parte a Ira fala com mais detalhes sobre a montagem e gerenciamento da campanha. É um conteúdo valioso para quem pretende se lançar através de crowdfunding.

Boa audição e boa campanha!

Os 12 Trabalhos do Escritor #S02E06A – Andrei Fernandes e o Financiamento Coletivo para Livros

Os 12 Trabalhos do Escritor #S02E06B – Ira Croft e o Financiamento Coletivo para Livros

logolucas_vectorized


Also published on Medium.

Published inRelato
  • Matheus Salfir

    Eu gostar muito.